23.4.18

LEIA O CORREIO FRATERNO EM UMA DAS TELINHAS


O jornal Correio Fraterno de março-abril de 2018 tem matérias que merecem ser lidas pelos espíritas:

A entrevista de Eliana Haddad, em entrevista com Simone Privato, mostra algumas alterações de A Gênese em suas edições de 1868 e 1872 (3 anos após a desencarnação de Allan Kardec) http://www.correiofraterno.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=2051:simoni-privato-explica-em-seminario-as-alteracoes-de-a-genese&catid=71:acontece&Itemid=2

O texto de Milton Felipeli aponta contradições que se pode encontrar entre ficções de temática espírita e a doutrina espírita de Allan Kardec. http://www.correiofraterno.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=2055:a-criacao-literaria-e-o-compromisso-com-a-doutrina&catid=103:especial&Itemid=2



Aurélio Valente e Virgílio, no primeiro plano da esquerda para a direita

Leia essas e outras matérias na edição pela internet: https://bit.ly/2Gf5Yag



20.4.18

NOVA LUZ: SÁBADO DE MANHÃ






Sábado pela manhã, 7:30 horas e o grupo que trabalha no Centro Espírita Nova Luz, em Rosaneves – Ribeirão das Neves, está chegando. Vão dando bom-dia ao Rommel, que já chegou à secretaria da sede da Associação Espírita Célia Xavier, cedinho, para receber a todos.

Voluntários jovens e adultos vão chegando e se cumprimentando. É uma equipe curiosa, composta de diferentes segmentos da casa de Célia Xavier. Cabelos que nunca viram tinta na vida ladeiam cabelos coloridos e fios naturalmente prateados, tingidos pelo tempo.

Nessa manhã vão evangelizar ou dar educação espírita para a vulnerável comunidade de uma das cidades mais pobres da grande Belo Horizonte. Estávamos próximos da páscoa, e ainda que nós, espíritas, não a comemoremos seguindo a tradição de outros cultos cristãos, uma alma boa deu mais de duas dezenas de ovos de chocolate para as crianças de lá. Não é páscoa, mas é caridade.

A menina de três anos, quando viu os ovos, comemorou.

- “Eu pedi ao coelhinho da páscoa um ovo com brinquedo dentro!” Falou em voz alta.

- “Acho que esse ovo não tem brinquedo, só chocolate!” Preveniu precavidamente a jovem da mocidade, para evitar desilusões pascoais...


- “Tem sim!” A garotinha de trancinhas reafirmou, confiante. “O coelhinho me prometeu.” Justificou, segura, sua crença na entidade criada pelos pagãos há bem mais de um milênio.



Foi dia de arte espírita, com uma convidada de fora, a Sarah. A coordenação dividiu as crianças em grupos heterogêneos, para quebrar um pouco a “cumplicidade para a desordem”. Placas de madeira, tampas de garrafas e outros materiais coloridos foram ganhando posição, cola e forma. O trabalho uniu, ganhou estética, afeto e orgulho. Orgulho coletivo, de equipe.


Depois de aula, chocolate e arte, o grupo volta meio cansado para Belo Horizonte. Quarenta minutos de van, dirigida pelo Seu João. Como teve arte, chegaram bem depois do usual, perto de uma hora da tarde.


Vale a pena o trabalho? Acho que os voluntários, olhando para sua quota, reafirmarão que vale sim, mas só saberemos daqui a muitos anos, quando as crianças que passaram pelos cuidados espirituais do grupo não forem mais crianças e essas experiências de pouco mais de uma hora semanal forem apenas memórias. Então saberemos se estas sementes de luz influenciarão ou não a vida dos nossos pequeninos e de suas famílias.

17.4.18

GENEALOGIA DE ALLAN KARDEC


Jussara Korngold, tradutora de livros de Allan Kardec para a língua inglesa, pesquisou e publicou recentemente uma árvore genealógica de Allan Kardec (Prof. HLD Rivail, como gostava de assinar seus livros). 

Entre as surpresas temos dois irmãos de Rivail, Auguste Claude e Marie Françoise, que desconhecíamos.

Parabéns à pesquisadora! 

14.4.18

VOCÊ TEM UM TRABALHO SOBRE "SOBREVIVÊNCIA DA ALMA"? ELE TRAZ ALGUMA CONTRIBUIÇÃO? INSCREVA NO 14o. ENLIHPE ATÉ 30 DE ABRIL



Chamada de Trabalhos

Dia 30 de abril se encerram as inscrições de trabalhos do 14 Encontro Nacional da Liga de Pesquisadores do Espiritismo (ENLIHPE), que ocorrerá na Sede Federativa da União Espírita Mineira nos dias 25 e 26 de Agosto de 2018.

O ENLIHPE é um encontro diferente dos que geralmente temos no meio espírita, porque tem sido realizado aos moldes acadêmicos. Qual é a diferença? 

Em vez de fazermos um encontro expositivo composto exclusivamente por convidados, abrimos um espaço para inscrição de trabalhos, que serão apresentados oralmente no evento. O tema central do evento é "Sobrevivência da alma", e se esperam trabalhos que tratem diretamente sobre ele, de preferência, articulados com as áreas de conhecimento reconhecidas pelas ciências e pela filosofia.

Assim, podem ser expostos trabalhos históricos, com recuperação de autores que pesquisaram o tema, trabalhos que discutem com embasamento teórico e/ou empírico a física, química ou biologia de Espíritos materializados, por exemplo, trabalhos sobre a personalidade ou identidade de espíritos comunicantes (psicologia, parapsicologia, por exemplo), trabalhos de análise comparativa da linguagem de comunicações espirituais (letras, hermenêutica, linguística, literatura comparada, por exemplo), ou ainda sobre o pensamento filosófico da alma e de sua sobrevivência (filosofia), apenas como exemplos.

Pretendemos publicar os melhores trabalhos sobre o tema sob a forma de coletânea, ainda a tempo de possibilitar aos participantes adquiri-lo no encontro, o que faz com que a data estabelecida não possa ser adiada.

Os trabalhos submetidos são encaminhados para um corpo de pareceristas, com formação acadêmica e conhecimento do espiritismo, para análise e sugestões, podendo ou não ser aprovados para o evento com base em suas opiniões.

Os autores terão tempo para apresentar e conversar com os participantes do evento sobre seu tema.

Há outras atividades previstas para o 14o. ENLIHPE, como uma mesa sobre o livro A Gênese, que faz 150 anos de sua publicação esse ano, conferências de pesquisadores do Núcleo de Estudos de Saúde e Espiritualidade (NUPES) da Universidade Federal de Juiz de Fora, autógrafos de livros, pão de queijo, música  e outras atividades.

Como atividade além do encontro, estamos contratando um prestador de serviços para fazer um tour com os interessados no domingo à tarde, a partir das 14:30 horas, em Pedro Leopoldo, para conhecer instituições ligadas à memória de Chico Xavier. Estão previstas visitas à Fazenda Modelo (local de trabalho de Chico), ao Centro Espírita Luiz Gonzaga e ao Museu "Casa de Chico Xavier". 

As inscrições para participação ainda não estão abertas, mas fiquem atentos a partir de junho de 2018. Elas serão gratuitas para o evento (mas será necessário fazer as inscrições previamente, porque as vagas são reduzidas) e haverá uma taxa para cobrir os custos do passeio, apenas dos que quiserem participar.

Já temos alguns trabalhos inscritos, mas aguardaremos a submissão de todos os interessados antes de divulgar os resultados.

Participem, seja como expositores, seja como congressistas!

Apoio:




11.4.18

JESUS EXISTIU? É IMPORTANTE PARA O ESPIRITISMO?



Manuscritos de Nag Hammadi


Com o passar do tempo e o desenrolar da história, a época em que viveu Jesus vai ficando cada vez mais distante de nós, o que leva algumas pessoas a questionarem se ele realmente viveu ou se não seria uma lenda, criada com alguma finalidade de controle social.

Para o pensamento espírita, Jesus não apenas viveu como pode ser considerado guia e modelo para os homens, como se lê em O Livro dos Espíritos. Após discutir filosofia com os Espíritos e escrever sobre a prática da mediunidade, divulgando sua experiência na França e no exterior, Allan Kardec dedicou-se ao estudo e comentário dos evangelhos, dando um grande destaque, inicialmente à questão moral, com a publicação de “O evangelho segundo o espiritismo” e posteriormente sobre outras questões ligadas aos evangelhos, como os milagres e as predições do Cristo, que se encontram analisados em “A Gênese”. Kardec e os Espíritos entendem que os ensinamentos cristãos são uma base importante para o desenvolvimento de uma ética para a humanidade, mesmo havendo mudanças muito intensas na sociedade, nas formas e relações de produção e na interação entre os homens.

Se considerarmos as evidências históricas e arqueológicas da vida de Jesus de Nazaré, podemos observar o seguinte:

1.       Entre as evidências documentais da existência de Jesus, temos, além dos evangelhos, as cartas de Paulo e as dezenas de escritos dos cristãos dos primeiros séculos, que temos até os dias de hoje.

2.       Historiadores judeus como Flávio Josefo e historiadores romanos como Plínio e Tácito, que não foram cristãos, escreveram sobre Jesus.

3.       Não se questiona a existência de Jesus na literatura antiga.

4.       Há diversas evidências arqueológicas como:

a.       os manuscritos do Mar Morto (descobertos em 1947, em uma localidade chamada Qmram, na Cisjordânia, que contém documentos escritos entre o século II aC. ao ano 70 dC, contendo textos do antigo e do novo testamentos, além de documentos apócrifos)
b.      os manuscritos de Nag Hammadi (descobertos no Egito em 1945, possivelmente do século II, escritos em cóptico e contendo textos gnósticos, que fazem referência a Jesus, embora sejam considerados apócrifos)
c.       Os papiros de Oxirinco (descoberto no Egito, contendo documentos que vão do século I ao VI, são uma espécie de biblioteca que tem textos clássicos, manuscritos teológicos e apócrifos, além de documentos do cristianismo primitivo).

O pensamento de Jesus é um dos pilares éticos da obra de Allan Kardec, em função de sua ética da solidariedade e da sua consideração dos seres humanos como pessoas, independente do lugar que ocupam na sociedade.